O cantor e compositor Nando Cruz lança videoclipes, documentário e LP dentro do projeto “Muçurana”

O cantor e compositor Nando Cruz está às voltas com o seu novo projeto: “Muçurana, Nando Cruz, 30 anos de estrada sonora”. Em virtude da efeméride tudo o que envolve Muçurana é abrangente, especial e agregador. “Estão sendo lançados 16 videoclipes de canções inéditas e algumas releituras do repertório autoral, um mini documentário com os bastidores desse processo de produção e para deleite de colecionadores teremos, em breve, um disco físico em formato de LP para coroar não só esse projeto, mas toda nossa trajetória”, afirma Nando. 

Muçurana é um projeto contemplado pelo Edital 03 Aldir Blanc do Estado do Tocantins em 2020, e por ele participaram, de maneira direta e indireta, mais de 200 profissionais entre músicos, produtores, técnicos, apoiadores e artistas diversos, como os músicos Marcos Ruas, Erasmo Dibell, Chiquinho França, as cantoras Anna Paula Bastos e Dicy. Uma presença destacada é também a de Dona Romana, em imagens diretamente do seu Santuário em Natividade, TO. Todo esse trabalho está disponível no canal do Youtube do artista: https://youtube.com/nandocruzoficial num percurso que envolveu a passagem por lugares históricos e paradisíacos de Tocantins, Maranhão e Pará, registrando em áudio e vídeo tais passagens ao mesmo tempo em que se alimentava da força e da beleza de suas pessoas. “Um enorme congraçamento de potências que, generosamente, contribuiu para este resultado maravilhoso. O um que só o é pelo todo”. Ressalta Nando.

O título Muçurana foi escolhido pelo artista em primeiro lugar por sua sonoridade e, consequentemente, por derivar de uma lenda, sendo ela, muçurana, a cobra preta que mama e que é titulo da toada bachiana tema do projeto. É daí, inclusive, que parte a definição para a capa do disco. A representação visual dessa mesma lenda foi feita (especialmente para Nando) sobre tecido de chita florida pelo artista plástico mineiro Gildásio Jardim. Por entre as composições encontramos um aceno à world music a partir da influência e mistura de ritmos como xaxado, baião, maracatu, bolero, valsa, salsa, reggae, country rock, blues, música caipira brasileira, folk europeu, etc. Nando faz, a partir de sua voz, gaita e violão, uma espécie de folk latino americano, e por entre esse arcabouço, conflui uma série infindável de referências. Frutos, sem dúvida, não só desses 30 anos de estrada, mas, obviamente, de uma busca constante por renovação e aprofundamento.

Nando Cruz além de cantor e compositor é multi-instrumentista. Mesmo atualmente radicado como tocantinense, define-se como “poti-pará-mara-toca”, num mix de Rio Grande do Norte, Pará, Maranhão e Tocantins. Em grande parte por passagens, vivências e inspirações desses mesmos lugares. Possui 55 anos de idade com uma longa trilha entre bandas de baile, bares e festivais. Tem dois discos lançados, os excelentes “Besouro Barroco” (2003) e “Passopreto ou blues e aboios” (2011) além do DVD PROMO Déjà Vu (2016). Muçurana (2022) é o terceiro álbum e um registro sem igual de um artista em seu apogeu estético: Conciliando elementos como maturidade e consciência dentro de sua trajetória, territorialidade, poética, musicalidade e técnica.

 

Serviço

O vinil de Muçurana está em pré-venda. Para mais informações:

Whatsapp: 63 98434 4692

Facebook: https://www.facebook.com/nandocrruz

Instagram: https://www.instagram.com/oficialnandocruzz/

(Texto/Reprodução: Thiago Ramos de França)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos