Samba de Botequim – Entre os clássicos, músicas inéditas serão apresentadas por Cesar Teixeira em grande show no CEPRAMA.

No próximo dia 23 de setembro, sexta-feira, a partir de 19h, as antigas instalações da Companhia de Fiação e Tecelagem de Cânhamo, transformada no Centro de Comercialização de Produtos Artesanais do Maranhão – CEPRAMA, receberá um autêntico “Samba de Botequim”.

Daqueles mesmos realizados no fundo dos quintais frutíferos, dos bares e quitandas madre-divinas que a gente ouve até hoje a poesia falar por aí; a roda estará formada e quem puxa o verso é o cantor e compositor Cesar Teixeira, inspirado no cheiro das flores de seu imenso jardim musical…

No capricho, Cesar Teixeira estará de volta aos palcos, muito bem acompanhado por um regional de primeira e recebendo as vozes potentes femininas de Rosa Reis, Célia Maria, Flávia Bittencourt, Lena Machado, Fátima Passarinho e Mairla Oliveira. Além da cadência ritmada da batucada original dos Fuzileiros da Fuzarca e o som platinado dos vinis da DJ Vanessa Serra compondo a atmosfera para a abertura da noite.

O repertório escolhido está sob sigilo a sete chaves, mas já podemos imaginar um pouco do que virá, haja vista, a conspiração popular pelas emblemáticas composições de Cesar Teixeira que Papete gravou no álbum “Bandeira de Aço”, produzido pela Gravadora Marcus Pereira, em 1978; além de tudo do que mais existe já registrado nos álbuns solo,  Shopping Brazil, de 2004, e Camapu, de 2018; a expectativa gira em torno das inéditas e do que estará fora de qualquer controle ou protocolo quando se fala do orgânico e visceral, Cesar Teixeira.

Ao longo de 53 anos de carreira, Cesar Teixeira mantém uma postura discreta e caminha um pouco às avessas do eixo midiático, mas fincado na história da Música Popular Brasileira. Em 1972, foi um dos fundadores do Laborarte. Destaca-se como compositor de sambas para a Turma do Quinto, da Madre Deus, e ao Pirata do Samba, de São João de Ribamar desde 1979. Em 2000 realizou o histórico show “Papel de Seda”, no Circo da Cidade, ao lado do Mestre Antônio Vieira. Em 2021, participou do Rumos Itaú Cultural, em São Paulo, tendo composições suas na coletânea de CDs do programa. Também participou do Projeto Brasil de Todos os Sambas, ao lado do Mestre Antônio Vieira, no CCBB, no Rio de Janeiro, em 2004, com as participações especiais da carioca Teresa Cristina e das maranhenses Rita Benneditto e Célia Maria. Em 2013, ele participou do Projeto BR 135 – Energia Musical, com o show “Bandeira de Aço 35 anos” no Teatro Arthur Azevedo.

E agora vem com tudo em “Samba de Botequim”, uma realização da Pitan Produções e Coletivo Apoena, e patrocínio do Governo do Estado do Maranhão e Grupo Mateus, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

A iniciativa tem entre seus objetivos a formação de plateia, e os ingressos serão trocados por apenas 1kg de alimento não-perecível, cuja doação será para o Natal Solidário das Mercês e para a Associação das Profissionais do Sexo no Maranhão – Aprosma, que atua na área do centro histórico de São Luís do Maranhão.

O convite está feito, entra na roda e vamos sambar!

SERVIÇO:

Show “Samba de Botequim”

Cesar Teixeira com part. especiais de Rosa Reis, Célia Maria, Flavia Bittencourt, Lena Machado, Fátima Passarinho e Maírla Oliveira.

Abertura: DJ Vanessa Serra

Dia 23 de setembro, sexta-feira, 19h, no CEPRAMA.

Ingressos: 1kg de alimentos não-perecível.

Mais informações: @showsambadebotequim.

 

(Da redação)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos