Conversa ao redor do fogo: Costumes indígenas

 

 

Cozinha Ancestral e Katù Film realizam projeto com povos indígenas, através de recursos da Lei Aldir Blanc

 

Cintia Guajajara dará Oficina de pintura corporal

Realizado pela Cozinha Ancestral e a Katù Film, “Conversa ao Redor do Fogo: costumes indígenas” será uma
experiência artística e cultural com objetivo de promover o encontro de pessoas entorno dos costumes indígenas do
povo Tentehar da Terra Indígena Araribóia, localizada no Estado do Maranhão.
O projeto tratará o tema em questão através da seguinte programação: exposição fotográfica do fotógrafo
ludovicense Taciano Brito e do fotógrafo indígena Santos Guajajara, com imagens do cotidiano dos povos indígenas;
exposição de artefatos e artesanato dos costumes indígenas do povo Tentehar da Terra Indígena Araribóia, com
objetos esculpidos em madeira pelo indígena Jocy Guajajara; oficina de pinturas corporais indígenas com a indígena
Cintia Guajajara; oficina artesanal para confecção de maracás e cantos rituais com o indígena Milton Guajajara;
almoço comunitário com os participantes das oficinas; e roda de conversa com matriarca indígena da Aldeia Lagoa
Quieta, Maria de Santana, sobre soberania alimentar indígena.

Jocy Guajajara

A exposição será realizada de 17 a 28 de novembro de 2021, ocupando as dependências do espaço da Cozinha
Ancestral, com culminância da programação no dia 23 de novembro com a realização de duas oficinas no período da
manhã: Oficina de Pintura Corporal; Oficina de Maracás e Cantos Rituais. No horário do almoço será realizado almoço
coletivo com os participantes das oficinas, como vivência comunitária sobre o tema dos costumes indígenas no
compartilhamento do alimento. No período da tarde será realizada a roda de conversa “Soberania Alimentar
Indígena” onde a matriarca indígena contará histórias sobre os ritos, mitos e tabus que envolvem o imaginário da
culinária ancestral do seu povo, enquanto cozinhará, no Fogão de Barro no quintal da Cozinha Ancestral, receita típica
da sua Aldeia, em seguida compartilhando o alimento com os participantes de forma comunitária. A programação do
dia 23 será encerrada com roda de cantos rituais indígenas com os participantes.
Os interessados poderão se inscrever para participar da imersão no dia 23, das 9 às 19h, incluindo oficinas, almoço
comunitário e roda de conversa. Toda a programação acontecerá na Cozinha Ancestral. As inscrições para o dia 23
serão realizadas de 17 à 21/11 através da rede social da Cozinha Ancestral (@cozinha.ancestral).
As exposições serão abertas ao público.

Milton Guajajara fará oficina de maracás e cantos indígenas

PROGRAMAÇÃO:
17 a 28/11 – Exposição fotográfica, de artesanato e artefatos indígenas. Fotógrafos Taciano Brito e Santos Guajajara.
Aberta à visitação de quarta à domingo, das 12 às 15h.
23/11 – Oficina de maracás e cantos indígenas com Milton Guajajara; e Oficina de pintura corporal com Cintia
Guajajara. As oficinas serão realizadas das 9 às 12h. As inscrições serão abertas no dia 17.
23/11 – Roda de Conversa sobre soberania alimentar indígena com a matriarca da Aldeia Lagoa Quieta, Maria de
Santana. A indígena irá cozinhar no fogão de barro no quintal da Cozinha Ancestral, receita típica do seu povo, em
uma conversa ao redor do fogo.
A programação será encerrada com roda de cantos indígena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIÁRIO DE BORDO NO JP

Vanessa Serra é jornalista. Ludovicense, filha de rosarienses.

Bacharel em Comunicação Social – habilitação Jornalismo, UFMA; com pós-graduação em Jornalismo Cultural, UFMA.

Atua como colunista cultural, assessora de comunicação, produtora e DJ. Participa da cena cultural do Estado desde meados dos anos 90.

Publica o Diário de Bordo, todas as quintas-feiras, na página 03, JP Turismo – Jornal Pequeno.

É criadora do “Vinil & Poesia” que envolve a realização de feira, saraus e produção fonográfica, tendo lançado a coletânea maranhense em LP Vinil e Poesia – Volume 01, disponível nas plataformas digitais. Projeto original e inovador, vencedor do Prêmio Papete 2020.

Durante a pandemia, criou também o “Alvorada – Paisagens e Memórias Sonoras”, inspirado nas tradições dos folguedos populares e lembranças musicais afetivas. O programa em set 100% vinil, apresentado ao ar livre, acontece nas manhãs de domingo, com transmissões ao vivo pelas redes sociais e Rádio Timbira.

PIX DIÁRIO DE BORDO SLZ
Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivos